quinta-feira, 13 de janeiro de 2011


[além da vida]

Além da Vida
Hereafter, 2010
Clint Eastwood


Diante do boom do cinema espírita no Brasil, com filmes que não apenas tematizam a espiritualidade mas buscam mesmo efeitos doutrinários sobre o espectador, é muito bom assistir algo como Além da Vida. Pode parecer estranho Clint Eastwood em um filme sobre pessoas que estabelecem algum tipo de contato com os mortos, um tema tão propenso ao sensacionalismo, mas a delicadeza do diretor cai como uma luva para esse quase gênero. Eastwood não quer convencer ninguém de nada, quer apenas contar uma boa história (no caso, três boas histórias, que em determinado momento se unem), e isso ele sabe fazer como poucos. Com simplicidade, discrição e sobretudo sobriedade, o diretor conduz seus personagens (muito bem construídos) por momentos dramáticos que passam longe do exagero, emocionando sem ser lacrimoso - há um momento de particular comoção, envolvendo o personagem de Matt Damon (ótimo em cena) e Bryce Dallas Howard, em curta, mas marcante, participação. E ainda consegue criar uma das sequências de destruição mais espetaculares e angustiantes do cinema, ao abir o filme reproduzindo o tsunami que varreu a Tailândia em 2004, sequência que, por si só, vale muito mais que os inúmeros filmes-catástrofe que chegam nos cinemas quase todo ano. É de deixar Roland Emmerich corado de vergonha.
No fim das contas, Além da Vida é apenas mais um passo na caminhada brilhante desse veterano cineasta que continua se aprimorando, cada vez mais, em sua capacidade de dar vida ao humano no cinema.

6 comentários:

Kamila disse...

Para mim, o momento de particular comoção foi o de Marcus com o George, apesar de ter gostado muito da participação da Bryce Dallas Howard neste filme. Eu adorei "Além da Vida". Achei um lindo filme. Emocionante. Pra mim, o melhor do Clint desde "Cartas de Iwo Jima".

gustavo disse...

ainda não vi, sempre acho que me decepciono com filmes com essa temática. Bom, mas esse é do mestre Clint!! Vou aqui procurar o arquivo pra assistir depois e ver se concordo contigo. Abraço

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wallace Andrioli Guedes disse...

Fernanda, o filme do Clint é bem diferente do Amor Além da Vida, aquele romance bonitinho com visual encantador... a abordagem aqui é outra, o olhar é para os vivos, para a relação muitas vezes de dependência que estabelecemos com a vida após a morte, e para como lidamos com esta relação. É um belo filme, que me encantou mesmo por sua sobriedade, já que também sou resistente a tal temática.

Lacônica? disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Grói Rail disse...

Eu concordo com a crítica, mas por outro lado, apesar da boa direção e mesmo da sensibilidade do filme, ele se torna bastante previsível, fato que me incomodou um pouco quando o vi.
Ainda assim, a ideia do filme de tratar as facetas da morte de vários ângulos é bastante interessante, e acho um filme interessante dde se conferir