domingo, 8 de março de 2009

[watchmen - o filme]

Watchmen - O Filme
Watchmen, 2009
Zack Snyder


Primeiramente, é preciso dizer que o simples fato de se poder assistir a uma adaptação de Watchmen nos cinemas já é uma ocasião para se comemorar. Afinal, estamos falando de um dos “partos” mais difíceis que o cinema já viu, com inúmeros diretores estando próximos de transformar a graphic novel de Alan Moore e David Gibbons em filme, e infindáveis versões do roteiro sendo escritas e reescritas. E Zack Snyder conseguiu. Palmas para ele.

No entanto, felizmente, Watchmen – O Filme não merece ser festejado somente por ter visto a luz do dia. Porque o resultado final alcançado por Snyder é excelente. Adaptar uma obra como a de Moore e Gibbons não é uma tarefa das mais fáceis: além do grande número de personagens, e as tramas envolvendo cada um, a graphic novel ainda é entrecortada por outras narrativas, tanto própria ao gênero, como uma revista em quadrinhos que é lida por um personagem, tanto por outros tipos de linguagens literárias, como trechos de um livro, relatórios médicos, entrevistas, e até um artigo científico. Nesse sentido, é primoroso o trabalho dos roteiristas David Hayter e Alex Tse, que transformam esse amontoado de referências e narrativas em uma trama coerente e coesa, e envolvente. É bem verdade que, em determinados momentos, o ritmo da narrativa de Watchmen é prejudicado por essas dificuldades, já que a HQ foi criada originalmente como uma série, em 12 partes, o que acaba tornando o filme episódico vez ou outra (não pude deixar de pensar que, talvez se tal obra fosse adaptada como uma série televisiva ao invés de ser lançada no cinema, o resultado seria uma obra-prima), no entanto, Snyder e seus roteiristas conseguem manter a trama intrigante e interessante, tanto para quem conhece a obra original quanto para os “não-iniciados”. Há sacadas muito boas, como a brilhante seqüência dos créditos iniciais, a inserção dos flashbacks se dá nos momentos exatos e o uso das músicas é um primor. E o trio Snyder-Hayter-Tse ainda acerta em cheio ao promover uma mudança importante no epílogo da trama, tornando-a mais verossímil e mesmo mais complexa (ainda mais se considerarmos que, provavelmente, caso o final original fosse filmado, o resultado soaria por demais bizarro, beirando o ridículo).
Além disso, Snyder tem dois grandes trunfos nas mãos: em primeiro lugar, o fato de o material original ser muito bom e interessante, com alguns personagens absolutamente fascinantes, o que torna muito difícil que qualquer um, mesmo com muito esforço, consiga estragá-lo; em seguida, seu ótimo elenco, especialmente o trio Billy Crudup, Jackie Earle Haley e Jeffrey Dean Morgan. É verdade que os três interpretam personagens por si só demasiadamente interessantes, mas é impressionante como todos estão no tom exato, e Dr. Manhattan, Rorschach e o Comediante se tornam, também em filme, figuras difíceis de se esquecer. Talvez o único porém no elenco fique por conta do fraco Matthew Goode, incapaz de transmitir a importância que seu personagem assume com o desenrolar da história.
Alternando na medida certa entre grandiosidade e intimismo, Watchmen – O Filme consegue, apesar de seus deslizes, e mesmo não conseguindo repetir o nível de politização da graphic novel, manter a essência da obra original, ao mesmo tempo que é um filme arrojado, que sobrevive independentemente de sua fonte. Melhor do que isso, ainda mais num caso como esse, me parece muito difícil de se conseguir.

5 comentários:

- cleber . disse...

Em breve, irei conferir ... Apesar de ter ouvido criticas de todos os tipos!

Bruno disse...

Wallace, assisti hoje este filme e gostei bastante. Realmente essa é uma das histórias de gibi mais difíceis de se adaptar, mas acho que o Zack Snyder se saiu muito bem. E o trio Billy Crudup, Jackie Earle Haley e Jeffrey Dean Morgan tb me agradou muito, com um destaque especial para o Earle Haley, que está fantástico... a atuação dele na última cena de seu personagem é perfeita. Abraço!

Diego Rodrigues disse...

Assim que eu arranjar algum tempo, Watchmen já é prioridade!

Nespoli disse...

Que bom que gostou assim, tava começando a pensar que só eu tinha achado o filme sensacional.. Pois bem, sou daqueles modistas que vai ler a HQ agora depois do sucesso do filme e me envergonho disso, mas fazer o que? Em breve terei uma opinião mais embasada, mas provavelmente sairá uma resenha sobre ele antes de eu ler, veja se possível...

Weiner disse...

Fico muito feliz com sua recepção à "Watchmen", já que o filme vem sendo duramente massacrado por alguns - o que acho algo errôneo e infundado. Claro que isto aqui não é uma obra prima, mas dentro da proposta de divertir e segurar a atenção do espectador, acho que cumpre (e muito bem) seu papel. Apesar da longa duração, não fiquei incomodado em nenhum momento, pelo contrário. A história cada vez mais me absorvia, a ponto de provocar até mesmo alguma apreensão.
Um grande abraço!!