terça-feira, 3 de março de 2009

[foi apenas um sonho]

Foi Apenas um Sonho
Revolutionary Road, 2008
Sam Mendes


Desde sua consagração precoce com a obra-prima Beleza Americana, há quase dez anos, Sam Mendes não entregava algo tão poderoso e marcante como é esse Foi Apenas um Sonho. Aliás, fica difícil compreender a esnobada quase total que a Academia deu no filme, indicando-o apenas em 3 categorias (figurino, direção de arte e ator coadjuvante, para Michael Shannon): parece mesmo que o Oscar 2009 assumiu um lado up, evitando visões pessimistas como a apresentada aqui por Mendes.

O maior trunfo de Foi Apenas um Sonho é, sem dúvidas, seu elenco, mais especificamente, seu casal de protagonistas. Não há nenhum traço nos desempenhos de Leonardo DiCaprio e Kate Winslet que nos lembre que estamos diante do mesmo casal que estrelou Titanic. Sai de cena o amor romântico que enfrenta qualquer obstáculo e entra a dura realidade do casamento. E põe dura nisso. Os personagens de DiCaprio e Winslet travam dolorosas e cruéis discussões, que lembram bastante dois grandes filmes de Mike Nichols, Quem Tem Medo de Virginia Woolf? e Closer - Perto Demais, onde relacionamentos amorosos também são tratados de forma parecida. E o casal de atores está simplesmente perfeito em cena. DiCaprio tem um personagem mais contundente, que domina a cena do início ao fim, e que tem pelo menos um momento impressionante, quando discute à mesa com o personagem do ótimo Michael Shannon, enquanto Winslet começa numa caracterização que parece bastante convencional, mas vai crescendo absurdamente ao longo do filme. Em mais um equívoco do Oscar 2009, era por Foi Apenas um Sonho que a atriz deveria ter sido premiada, e não pelo frustrante O Leitor (ainda que Winslet esteja muito bem também no filme de Stephen Daldry), enquanto DiCaprio merecia receber aqui sua quarta indicação ao prêmio.
Contando com uma narrativa que incomoda profundamente o espectador, tanto pela natureza de sua história quanto pela forma como Mendes consegue torná-la claustrofóbica e angustiante a seu próprio modo, Foi Apenas um Sonho ameaça descambar para o melodrama quando entra em sua reta final, devido ao fato de algumas escolhas de Mendes parecerem, a princípio, forçadas, com a saga do casal Wheeler assumindo um lado trágico que parecia ser anunciado durante todo o filme (mas que, quando se concretiza, dá a impressão inicial de que há ali algo fora do lugar). No entanto, não demora muito para perceber-se que essas escolhas são totalmente coerentes com a proposta do longa, especialmente diante de sua excepcional cena final. Uma pequena pérola, a ser descoberta e devidamente reconhecida, e que se coloca, ao lado de O Lutador, como o maior injustiçado do estranho Oscar 2009. Filmaço.

6 comentários:

cinevita disse...

To dando pulos aqui! Finalmente alguém que viu também toda essa beleza. Não iria ao ponto de consagrar 5 estrelas, mas o filme é mesmo merecível destes seus elogios. Só o achei terrívelmente triste. Apesar de saber ser algo inevitável, me incomodou.

Agora, entre ele e O Leitor, preferia ele à nomeação ao Oscar!

Ciao!

Wallace Andrioli Guedes disse...

O filme é mesmo de partir o coração, e não tanto pelo desenrolar final de sua trama, mas pela forma dolorosa como naufraga o casamento dos Wheeler.

Bruno disse...

Ainda não vi, mas está nos meus planos, sobretudo depois dessas cinco estrelas que vc deu, hehe. Com a Kate Winslet, vi ontem "O Leitor", filme que me agradou bastante. Concordo com o que vc disse no seu texto mais abaixo, que o filme peca pela irregularidade devido à parte final, que está aquém do resto. Contudo, analisando o conjunto da obra no todo, confrontando os prols e os contras, o resultado ainda assim me pareceu excelente. Abraço!

Demas disse...

Wallace,
também não entendi a esnobada da Academia para cima do Sam Mendes: gostei muitíssimo de "Foi apenas um sonho". Grande filme, um dos meus preferidos dentre todos os indicados a alguma categoria do Oscar 2009.
Abração

Rafael Carvalho disse...

Gostou, hein? Gosto muito dele também, a história conseguiu ficar comigo depois que eu vi, mas não vejo como algo excepcional. Concordo plenamente que Winslet devia ganhar seu Oscar por esse papel, e o Di Caprio merecia ser pelo menos indicado.

O que me incomoda nesse filme são as DRs que parecem intermináveis. Sei que isso é o que move a história, mas vai ficando cansativo. O final realista salva o todo.

Weiner disse...

Wallace, eu gostei do filme de Sam Mendes, especialmente porque sou fã de dramas familiares. Mas alguns aspectos me incomodaram bastante, como o roteiro bem previsível e as situações corriqueiras e nada originais. A sensação é que já vimos o filme antes - só não sabemos exatamente onde.
Supreendeu-me seus comentários e sua cotação, acho que é um dos primeiros que avaliou "Foi Apenas Um Sonho" tão bem.
Grande abraço, garoto!!!