domingo, 23 de maio de 2010

[zona verde]

Zona Verde
Green Zone, 2010
Paul Greengrass


Zona Verde é o primeiro filme sobre as guerras que os norte-americanos vêm travando no Oriente Médio a ser lançado após o imenso êxito artístico de Guerra ao Terror, que foi o primeiro trabalho verdadeiramente impactante sobre o tema. E, como tal, o novo filme de Paul Greengrass não traz nada de muito novo em relação ao que foi feito até então: não há grandes diferenças entre Zona Verde e obras como, por exemplo, Rede de Mentiras, de Ridley Scott, ou O Reino, de Peter Berg. Como filme de ação, o filme de Greengrass é excelente, justamente tudo o que se poderia esperar do diretor: montagem acelerada, narrativa envolvente, cenas carregadas de tensão, e muita correria - além de um Matt Damon excelente, mais uma vez. Greengrass é um mestre nesse quesito, e ele não decepciona ao levar sua câmera nervosa para o campo de batalha. Mas, assim também como os outros filmes citados (e mais vários outros que arriscaram-se nessa temática), Zona Verde não consegue ir fundo no lado humano da tal "guerra ao terror" e, daí, perde boa parte de sua força. Pois, um filme sobre guerra, por mais que possa render grandes sequências de ação e uma boa trama de espionagem - com os devidos toques políticos - tende a ser canhestro se resumir-se somente a isso. Torna-se puro entretenimento.
Aliás, esse foi mesmo o diferencial de The Hurt Locker: a forma como Kathryn Bigelow investigou, com um misto de crueza e poesia, os efeitos do combate sobre aqueles homens (e mulheres), ao invés de apostar somente em cenas de ação espetaculares e em discursos poléticos batidos - ainda que indubitavelmente relevantes. É que a política ganha contornos mais verdadeiros quando o elemento humano é colocado na equação, algo que a maior parte destes filmes - inclusive, infelizmente, esse Zona Verde - não conseguiu compreender. Talvez Paul Greengrass devesse rever o seu Vôo United 93, um dos grandes exemplos da força política que um olhar humanista pode ter.

Um comentário:

CiNe ViTa disse...

Uma merda este filme não ter passado aqui nos cinemas, queria muito ter visto. =/