quinta-feira, 1 de outubro de 2009

[festival do rio 2009: boletim 2]

Mother
Madeo, 2009
Bong Joon-Ho


O que pode haver de comum entre um filme de monstro e um drama familiar sobre uma mãe em busca de liberdade para o filho inocente? Mais eclético impossível, correto? Errado. É impressionante o quanto esse Mother, novo longa de Bong Joon-Ho, guarda semelhanças com seu trabalho anterior, o excelente O Hospedeiro. Assim como lá a figura do monstro que surge no rio Han e as críticas políticas eram menos importantes do que a busca daquele pai para recuperar sua filha amada – e ao mesmo tempo redimir-se consigo mesmo –, aqui a investigação sobre o verdadeiro autor do crime que levou o filho da protagonista à prisão é secundária, diante da determinação e do amor que movem a personagem. Nesse sentido, O Hospedeiro e Mother são exatamente sobre a mesma coisa: até onde se é capaz de ir para defender alguém que se ama. No entanto, ao mesmo tempo que continua a trafegar com grande desenvoltura por diferentes gêneros – aqui ele vai do drama familiar ao thriller policial e à comédia de humor negro com imensa facilidade e leveza –, Joon-Ho realiza uma obra que vai além do seu filme anterior em densidade e profundidade reflexiva. Mother conta com uma protagonista hipnótica, fascinante (interpretada com gigantismo por Kim Hye-Ja), que torna quem o assiste, logo de cara, cúmplice daquela mulher. O que faz com que o caminho que ela irá trilhar a partir dali, a desembocar na reviravolta final da trama, deixe marcas difíceis de tirar nesses cúmplices da mãe do título. Por tudo isso, Mother merece quatro estrelas. A quinta é por sua cena final.

2 comentários:

Diego Rodrigues disse...

Para mim, O Hospedeiro é um dos melhores filmes destes últimos 10 anos, então estou bastante ansioso por Mother!

cinevita disse...

Bong Joon-ho é brilhante! Não esperaria menos que isso dele.