sábado, 23 de maio de 2009

[anjos & demônios]

Anjos & Demônios
Angels & Demons, 2009
Ron Howard


Me irrita bastante a forma como os livros de Dan Brown são cultuados por alguns, como se fossem o fino da literatura atual (obviamente, qualquer um que tenha um conhecimento razoável do assunto reconhece a mediocridade dos escritos de Brown). Do autor, li somente O Código Da Vinci, mas que já foi o suficiente para optar por me poupar de entrar em contato com outras de suas obras. No entanto, curiosamente, gosto bastante da versão cinematográfica de seu mais famoso livro: acho que Da Vinci funciona absurdamente melhor como filme do que como obra literária (longe de mim querer aqui considerar o cinema como uma arte menor do que a literatura, algo que, como cinéfilo apaixonado, jamais faria - simplesmente, os livros de Brown já parecem basear-se em clichês repetidos exaustivamente nos thrillers hollywoodianos, e, transpostos para filme, se tornam, com o acréscimo dos trabalhos de seus atores, diretor etc., obras inevitavelmente mais ricas, levando-se em conta a fraqueza dos materiais que as originaram). Gosto do que Ron Howard fez com o livro de Brown, com o clima escuro do filme, que às vezes se torna quase intimista (ok, talvez esteja exagerando um pouco, mas não há a grandiosidade eloquente que há no livro), e gosto especialmente do trabalho de alguns atores, especialmente Paul Bettany e Ian McKellen.
Pois bem, com Anjos & Demônios, optei por assistir ao filme sem ler o original, primeiramente, por não querer perder mais tempo com Dan Brown, e também por ver como um filme baseado em uma de suas obras funcionaria para alguém que não a leu previamente (já que no caso de Da Vinci, o efeito comparativo funcionou muito bem em favor da versão cinematográfica). E o resultado foi, novamente, muito bom. Contando com uma história mais sombria (e mesmo mais interessante) do que seu predecessor (que, na literatura é seu sucessor), Anjos & Demônios é mais um êxito de Howard ao adaptar o escritor norte-americano: é tenso na medida certa, envolvente, e, se não conta com a dupla Bettany/McKellen para abrilhantar seu elenco, ao menos possui um ótimo Ewan McGregor, que rouba a cena, simplicidade, sempre que aparece. Obviamente, problemas existem: o filme é bem mais grandioso do que O Código Da Vinci, o que não chega a ser propriamente um defeito, mas com uma história sombria como a que possui, não deixaria de ser interessante um clima mais sinistro e intimista sendo empregado na narrativa; Tom Hanks continua apático como Robert Langdon, não conseguindo, novamente, criar um protagonista empático, e que faça o espectador torcer por ele, ou ao menos se interessar por seu destino; e (o que talvez mais atrapalhe o longa) há uma necessidade irritante da trama em ser auto-explicativa a todo momento (algo que vem, claramente, de sua origem literária, onde caminhões de informações são despejados a cada capítulo sobre o leitor), com os personagens estando sempre a explícitar o que eles estão fazendo, o porquê de cada um de seus atos, o que leva a um didatismo mediocrizante.
No entanto, basta ter um mínimo contato com a literatura de Dan Brown para saber que Ron Howard e seus roteiristas estão "tirando leite de pedra", ao conseguirem entregar filmes razoavelmente bons, com alguma dramaticidade e com personagens minimamente interessantes, baseando-se nestes livros. No fim das contas, tanto O Código Da Vinci quanto Anjos & Demônios acabam funcionando como uma espécie de manual de como transformar um material ruim, medíocre, em filmes de qualidade. O que não deixa de ser um grande feito.

3 comentários:

Bruno disse...

Pra ser sincero eu achei "O Código Da Vinci" um filme bem mais grandioso que "Anjos e Demônios". Na minha opnião, a trama deste último não possui uma proporção tão magnífica, além de ficar muito limitada a um evento, num certo espaço, num curto período de tempo. Acho que "O Código Da Vinci" funcionou melhor como longa do que "Anjos e Demônios", o que não tira os méritos deste, que também consegue fazer seu papel ao proporcionar uma boa diversão. Abraço!

Wallace Andrioli Guedes disse...

Bruno, acho que você até está certo ao dizer que a trama de O Código Da Vinci seja mais grandiosa do que a de Anjos & Demônios (afinal de contas, ela busca desmistificar uma relação envolvendo a figura mais importante da cultura ocidental), mas quando me refiro às proporções desse novo filme, falo principalmente da forma como ele foi filmado, ou melhor, da forma como sua história é narrada. Nesse sentido, Anjos & Demônios me parece bem mais grandioso do que seu predecessor.

cinevita disse...

Que bom que gostou. Concordo quanto à "O Código Da Vinci" (livro e filme) e achei "Anjos e Demônios" um filme mais interessante.

3 estrelas, idem.

Ciao!