domingo, 8 de julho de 2012

[deus da carnificina]


Deus da Carnificina 
Carnage, 2011
Roman Polanski


Roman Polanski era mesmo a escolha mais óbvia para dirigir um projeto como essa adaptação da peça Dieu du Carnage, de Yasmina Reza. Afinal, o diretor franco-polonês já demonstrou ser capaz de explorar magnificamente espaços fechados em sua célebre "trilogia do apartamento" e no ótimo A Morte e a Donzela. Por isso, é uma pena que Deus da Carnificina não seja o filme memorável que prometia ser. Provavelmente a culpa nem é tanto de Polanski - que faz seu trabalho com competência, comandando um cast talentoso em atuações cruas e carregadas de ironia -, mas do próprio texto adaptado.
Isso porque, por mais que todo o processo de ruptura com as convenções sociais vivido pelos quatro personagens funcione muito bem na tela, o filme peca justamente ao interrompê-lo quando começava a ganhar contornos mais explosivos. Assistir a John C. Reilly e Jodie Foster deixar de lado as aparências de casal médio americano feliz e lavar a roupa suja na frente de estranhos; ou a Christoph Waltz (mais uma vez encarnando uma figura extremamente sarcástica) e Kate Winslet se ofendendo mutuamente sem pudores, é um verdadeiro prazer - talvez meio sádico, é verdade. No entanto, por encerrar sua narrativa antes que coisas mais traumáticas aconteçam, Deus da Carnificina perde a chance de ser um novo Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, para tornar-se apenas um bom exercício de direção de atores. Levando-se em conta os envolvidos no filme, seria de se esperar muito mais. 

2 comentários:

Rafael Carvalho disse...

Gosto do filme, tava achando exagerado na metade, mas me parece uma proposta over mesmo, que vai crescendo. Às vezes é difícil comprar, já outros momentos são engraçadíssimos. Essa coisa da comédia também me parece um tom bem acertado, uma maneira interessante de por à tona a hipocrisia dos personagens, sem soar pesado. E bela lembrança a de A Morte e a Donzela, acho um filmaço do Polanski e me lembrei muito da direção dele em relação a esse aqui, o aproveotamento de espaços é sensacional.

blogcineresenhas disse...

Pois é! Depois daquele "A Morte e a Donzela" (um dos grandes filmes do Polanski), esperava por algo no mínimo acima da média desse "Carnage". Fique extremamente frustrado com o resultado. Nem consigo ao menos considerá-lo um bom exercício de direção de atores, uma vez que acho que a Kate Winslet e Jodie Foster estão completamente exageradas. Não convenceu.