terça-feira, 18 de outubro de 2011


[thor]

Thor
Thor, 2011
Kenneth Branagh


Não é fácil encontrar a mão de Kenneth Branagh em Thor. Juro que tentei. Talvez o caminho mais óbvio seja procurá-la no tom meio shakespeareano dado à relação do protagonista com seu pai e com seu irmão, mas ainda assim me parece muito pouco - o outrora aclamado Branagh é mesmo aqui somente um diretor de aluguel.
Não que isso transforme Thor em um filme ruim, pelo contrário. Seguindo o recém-estabelecido "padrão Marvel" (ou padrão The Avengers) de qualidade, o filme do Deus do Trovão tem lá seus méritos: trafega bem entre as duas dimensões em que sua história se desenrola, conseguindo tornar plausível uma trama intrinsecamente absurda, e se beneficia enormemente do carisma de seu ator principal, Chris Hemsworth, que constrói um Thor adorável em sua arrogância. É um filme rápido, bem produzido (não só tecnicamente, mas também na construção de um roteiro amarrado e na oferta de desempenhos convincentes por parte de seus atores), divertido, com tudo no lugar (ainda que o desperdício de Natalie Portman em um papel extremamente bobo seja um crime digno de punições severas). Mas reside aí também a sua (e de todos os filmes que confluirão para The Avengers) maior limitação: tal qual Homem de Ferro (1 e 2), O Incrível Hulk e Capitão América, Thor não consegue ir muito além do agradável. O que nos leva novamente à decepção gerada pela presença inócua de Branagh na direção.
Com liberdade autoral, talvez o diretor fizesse simplesmente algo como o Hulk de Ang Lee, típico filme bom que ninguém gosta, mas ao menos veríamos na tela algum traço do sujeito que entregou, só para citar um exemplo, aquela que é provavelmente a melhor versão de Hamlet para o cinema. Do jeito que foi feito, Thor poderia ter sido comandado por qualquer Jon Favreau, Louis Leterrier ou Joe Johnston da vida...

4 comentários:

Linderval Souza disse...

So quem viveu os anos 80 sabem como e significante ver filmes baseados nos hqs naquela época,claro que nem todos são feitos com eficiência.

Cleber Eldridge disse...

Eu achei o filme bem irregular, assim como esse ator principal que não sei de onde saiu!

Wallace Andrioli Guedes disse...

Poxa, Cleber, apesar de também não saber de onde saiu esse Chis Hemsworth, gostei do seu trabalho, achei que o sujeito construiu um Thor bastante carismático, o que talvez seja a melhor coisa do filme.

Rafael Carvalho disse...

Olha, eu acho essa coisa do shakeapereano uma tremenda balela. Porque assim qualquer conflito familiar que envolva poder cai nesse mesmo lugar. O que eu vejo em Thor é um bom filme de super-heroi, com senso de aventura, bem orquestrado e dirigido. Fico satisfeito!