sexta-feira, 18 de junho de 2010


[josé saramago]


Este é um blog de cinema. Só por hoje, não o será. Li apenas três livros de José Saramago - todos (ou quase todos) os outros, conheci via minha irmã, estudante de Letras e apaixonada pelo escritor. Três livros foram o bastante para compreender minimamente sua genialidade. Nunca conseguirei explicar em palavras o turbilhão de emoções diante da leitura de Ensaio sobre a Cegueira; nem a vontade incontrolável de chorar ao final de Intermitências da Morte; nem a satisfação sarcástica pela ironia incorrigível de Caim. Nunca. E nem quero. O que quero aqui é prestar minha pequena homenagem a esse grande homem, que hoje, com sua partida, deixou o mundo um lugar pior para se viver. Saramago era daquelas personalidades que achávamos que nunca morreriam. Pois morreu. Foi, até o fim, humano, como todos os seus personagens (mesmo os divinos, sobrenaturais ou demoníacos). E o que há de mais humano que a morte?

3 comentários:

CiNe ViTa disse...

Só li um e já posso dizer com plena segurança que se tratava mesmo de um gênio. Triste partida.

Kahlil Affonso disse...

Lá se vai um mestre!

http://mini-critic.blogspot.com/

Rafael Carvalho disse...

Que o descanso seja merecido! Pena que morreu ainda com tanta lucidez e total domínio de sua arte. Acho que nunca esquecerei da leitura de Ensaio Sobre a Cegueira em que cada página era um misto de surpresa e estupefação!