quarta-feira, 29 de dezembro de 2010


[as crônicas de nárnia: a viagem do peregrino da alvorada]

As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada
The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader, 2010
Michael Apted


Uma confissão: eu gosto de As Crônicas de Nárnia. Acho o primeiro filme da série, O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa uma aventura infanto-juvenil de qualidade, envolvente e empolgante na medida certa, e o segundo, Príncipe Caspian, uma bem-vinda demonstração de amadurecimento, com um tom um pouco mais adulto, mas sem perder o senso de aventura demonstrado no primeiro. Acima de tudo, se Nárnia nunca chegou ao nível de um Harry Potter (e muito menos de O Senhor dos Anéis), ao menos sempre esteve à frente em qualidade dos inúmeros filmes de fantasia que inundam os cinemas todos os anos (A Bússola de Ouro, Eragon, Percy Jackson e tantos outros que não perdi meu tempo assistindo...).
Infelizmente não dá para dizer o mesmo deste terceiro capítulo da série. A Viagem do Peregrino da Alvorada até tem lá seus momentos divertidos, o final até é bonitinho e emocionante, mas, no geral, é um filme muito fraco. Há um claro retrocesso no nível de maturidade alcançado em Príncipe Caspian, com a narrativa se assumindo a todo momento como puramente infantil. Além do mais, tudo soa excessivamente gratuito na trama. Não parece haver motivação real para os personagens fazerem o que fazem, ao contrário dos filmes anteriores. É a aventura pela aventura, descartando qualquer senso de perigo que poderia existir neste tipo de postura (nos filmes anteriores, sempre temíamos por aquele grupo de crianças no campo de batalha, e o risco de algo acontecer a elas era minimamente real, algo que não ocorre aqui). Pela primeira vez na série, também, sua mensagem religiosa me incomodou. Apesar de não ser cristão (nem nenhuma outra coisa), sempre levei numa boa o subtexto de Nárnia, até porque, no fim das contas, as mensagens de respeito, amizade e amor que os filmes buscam passar estão acima de qualquer crença religiosa. Mas em A Viagem do Peregrino da Alvorada as opções religiosas de C. S. Lewis se explicitam ainda mais, chegando ao ápice com o leão Aslan revelando possuir "outro nome" no nosso mundo... desnecessário, não?
É mesmo uma pena que As Crônicas de Nárnia, que caminhava para se firmar como a terceira melhor série de filmes de fantasia dos últimos anos, com dois filmes tão encantadores, sofra essa queda de qualidade (coincidentemente ou não, justamente quando trocou de diretor). Até acho que Nárnia ainda ocupa este posto, mas agora é mais por falta de opções mesmo.

5 comentários:

Gabriela disse...

Os diálogos se mantiveram fiéis ao livro, incluindo a "frase do Aslam".
Ah, e o nome do filme é "...Dawn TREADER", conserta lá no título e depois apaga aqui.

Wallace Andrioli Guedes disse...

Então, mas ainda assim essa explicitação excessiva do caráter cristão da história me irritou um pouco.
E o título já está corrigido! Thanks.

Cristiano Contreiras disse...

Eu me empolguei mais neste terceiro que no segundo, mas acho que no geral é um filme bom - na verdade, o primeiro é o melhor de todos. Contudo, não condeno esses filmes não. Acho bons efeitos, elenco entrosado e, pra quem leu os livros, sabe que são bastante fieis.

Nota 7

abraço

Kahlil Affonso disse...

eu adoro os 2 primeiros filmes e também fiquei extremamente decepcionado com este terceiro... uma pena, ja que o mundo de nárnia tem tudo pra ser explorado da melhor forma

http://filme-do-dia.blogspot.com/

Wallace Andrioli Guedes disse...

Gabriela e Cristiano,
talvez o problema de A Viagem do Peregrino da Alvorada esteja, então, no livro que o inspirou...