sexta-feira, 7 de agosto de 2009

[alguns filmes - junho e julho]

Adoro escrever, e até agora tenho escrito sobre todos os filmes que assisto, ou através de textos individuais, ou através desses grandes posts sobre os filmes do mês. No entanto, por falta de tempo, vou ter de mudar isso. A partir de agora, então, postarei a lista dos filmes que assisti em cada mês, com suas respectivas cotações. Mas só escreverei sobre alguns deles, destacando-os individualmente (como fiz na lista de junho com Garotos de Programa). Não queria fazer isso, mas essa necessidade se impõe - e, além do mais, acho que ficará menos cansativo acompanhar o blog, sem aqueles longos textos sobre inúmeros filmes...
E, nessa primeira lista, devido à minha longa ausência do blog recentemente, listo os filmes dos dois últimos meses.
É isso. Espero que compreendam - e que gostem.

Cabaret
Cabaret, 1972
Bob Fosse

Memórias do Cárcere
Memórias do Cárcere, 1984
Nelson Pereira dos Santos
Pindorama
Pindorama, 1971
Arnaldo Jabor
Tudo Bem
Tudo Bem, 1978
Arnaldo Jabor
Eu Sei Que Vou Te Amar
Eu Sei Que Vou Te Amar, 1986
Arnaldo Jabor
O Triunfo da Vontade
Triumph des Willens, 1935
Leni Riefenstahl

Um Homem com Uma Câmera
Cheloveks Kinoapparatom, 1929
Dziga Vertov
Moloch
Moloch, 1999
Aleksandr Sokurov
A Grande Ilusão
La Grande Illusion, 1937
Jean Renoir
Filme Demência
Filme Demência, 1986
Carlos Reichenbach
Árido Movie
Árido Movie, 2005
Lírio Ferreira
Gerry
Gerry, 2002
Gus Van Sant
Jogada de Risco
Hard Eight, 1996
Paul Thomas Anderson
Jango
Jango, 1984
Silvio Tendler
Sexta-Feira 13
Friday the 13th, 2009
Marcus Nispel

Simão do Deserto
Simón del Desierto, 1965
Luis Buñuel

Os Deuses Malditos
La Caduta degli Dei / The Damned, 1969
Luchino Visconti

O Equilibrista
Man on Wire, 2008
James Marsh

6 comentários:

cinevita disse...

Sou uma vergonha... de um quilo de clássicos, vi o caça-níquel do "Sexta-Feira 13".

Mas, como neste último mês, estou descobrindo obras incríveis.

Ciao!

Vinícius P. disse...

Nossa, foram poucos os filmes que vi dessa lista, mas sem dúvida peguei algumas dicas daqui...

Bruno disse...

Wallace, isso é normal, os compromissos acabam prejudicando um pouco nosso lazer, e fatalmente ficamos menos dedicados. Quando comecei lá no blog escrevia sempre três vezes por semana, agora acontece de não conseguir escrever três vezes no mês, dependendo da época. O jeito é ir levando da melhor maneira possível, até o dia que voltarmos a ter um tempo legal pra dedicar melhor. Faço a mesma coisa que vc passará a fazer: para que todos os interessados possam ao menos acompanhar minhas cotações em relação aos respectivos filmes, publico só as notas, no fim do mês, lá nas Minhas Estimativas.

Sobre os filmes, é vergonhoso ter que assumir que só assisti "Gerry", filme bem diferente, mas muito interessante na sua proposta. Acho que foi a partir daí que o Gus Van Sant passou a se dedicar cada vez mais a obras autorais.

Abraço!

Rafael Carvalho disse...

Não vou dizer que os textos não farão falta, mas eu te entendo. Falta de tempo é um saco. Dos filmes visto:

O Triunfo da Vontade, que por mais que tenha sido feito em razão da propaganda nazista, é bastante bem filmado e montado.

Um Homem Com Uma Câmera, talvez uma das primeiras experimentações cinematográficas no sentido de testar as possibilidades de filmagem, edição, angulação, etc. As imagens são incríveis, principalmente por serem feitas na década de 20. Acho primoroso!!

Já A Grande Ilusão não me pareceu essa obra-prima que muita gente diz, mas é bem bom. Aquela dinâmica entre os personagens é interessantíssima, e a direção do Renoir é simples, mas bastante eficiente.

Árido Movie tem até coração e uma história bem contada. Mas não é o tipo de filme que conseguiu me pegar. O elenco varia muito, desde um excelente José Dumont a um apagado Guilherme Webber.

Gerry é uma experiência por demais desgastante; parece que o filme quer a qualquer custo vencer o espectador, mas é uma proposta ao mesmo tempo lúdica e estética. Chega a alcançar momentos de sensorialidade. Uma grande surpresa, mas faz bastante sentido quando visto dentro da fase experimentalista do Van Sant.

E O Equilibrista que, como documentário, acabou se mostrando um dos melhores filmes do ano, mais do que uma históra fascinante, um personagem fascinante e uma estrutura não-linear bastante feliz.

Wallace Andrioli Guedes disse...

Rafael,
também acho O Triunfo da Vontade muito bem filmado, mas, como é um filme de propaganda, é repetitivo demais, o que o torna um tanto cansativo.
Reconheço a importância de Um Homem com uma Câmera, mas confesso ter certa dificuldade com filmes que são puros experimentos de linguagem, como esse.
E achei O Equilibrista bem legal, mas um tanto superestimado, e mesmo fake. Talvez pela persona do protagonista, que quer sempre dar show em suas falas na atualidade. Mas é um filme que vale a pena, sem dúvidas.

Weiner disse...

Oi, Wallace! Dos filmes que vi:

Cabaret (****) 8,0
Memórias do Cárcere (***) 7,5
A Grande Ilusão (****) 8,5
Filme Demência (***) 7,0
Árido Movie (***) 7,0
Jogada de Risco (***) 7,0
Sexta-Feira 13 (*)1,5
Os Deuses Malditos (****) 8,5
O Equilibrista (***) 7,0

Abraço!